SJM e Departamento de Infectologia da SJM integram Gabinete da Crise dentro do Comitê de Gestão Hospitalar

121
SJM e Departamento de Infectologia da SJM integram Gabinete da Crise dentro do Comitê de Gestão Hospitalar

A Sociedade Joinvilense de Medicina (SJM), que tem como presidente o médico Dr. Antônio Garcia e o Departamento de Infectologia da SJM, que é presidido pelo médico infectologista Dr. Luiz Henrique Melo, também Coordenador Médico da Vigilância em Saúde da Prefeitura de Joinville, estão participando desde o dia 23 de fevereiro do Comitê Estratégico de Gestão Hospitalar, que integra o Gabinete de Crise no combate à pandemia de COVID-19. Este grupo de trabalho, composto pelo total de cinco comitês e acompanhado de perto pelo prefeito Adriano Silva e pelo Secretário Municipal de Saúde, Jean Rodrigues, foi formado assim que começaram a aumentar de forma exponencial os casos de coronavirus com rápida ocupação dos leitos de enfermaria e UTI, visando com isso, ter maior efetividade nas ações coordenadas para evitar o colapso na saúde pública da maior cidade do Estado. Ele tem se reunido pelo menos uma vez por semana e diariamente as informações são atualizadas para os membros participantes.

Atento aos números e ao registro de casos desde o início da pandemia em março do ano passado, Dr. Luiz Henrique Melo participou da reunião de diretoria da SJM na quarta-feira passada, coordenada pelo Dr. Antônio Garcia, onde também estiveram presentes o médico intensivista Dr. Glauco Westphal, responsável pelas residências de terapia intensiva do Hospital São José e da Unimed e coordenador das UTIs da Unimed e do Hospital Bethesda, e o Diretor Técnico do SAJ – Serviço de Anestesiologia de Joinville, Dr. Jurandir Coan Turazzi. O foco central da conversa foi a criação de uma lista de profissionais médicos que possam atuar na linha de frente no combate da COVID-19 a ser ofertada aos hospitais e a Secretaria de Saúde em caso de necessidade. Segundo eles, não há como abrir mais leitos de UTI e enfermarias próprias para COVID-19 sem a falta de profissionais médicos, pois as equipes hoje atuantes estão exaustas com o ritmo de trabalho acelerado e se a situação continuar se agravando, será preciso contar com a força de trabalho dos residentes e médicos de outras especialidades dispostos a atuarem na área de medicina intensiva neste momento de urgência e emergência provocado pela pandemia do coronavirus.

Ao final do encontro ficou acertado que além de acompanhar de perto o trabalho do Comitê Estratégico de Gestão Hospitalar, eles estarão atuando em seus locais de trabalho pela identificação dos médicos que queiram participar desta frente de atuação. “Nosso trabalho é de acompanhamento dos indicadores e da situação dentro de cada unidade de saúde e com este novo ciclo da COVID-19, com o surgimento de novas cepas e uma proliferação mais acelerada e que tem trazido números preocupantes a cada dia, cabe a classe médica acompanhar e contribuir tanto do ponto de vista científico, como na organização do trabalho a ser efetivado”, disse Dr. Luiz Henrique Melo. Ele também destacou a importante meta de concluir a imunização de todos os profissionais que atuam na área da saúde de Joinville.

SJM e Departamento de Infectologia da SJM integram Gabinete da Crise dentro do Comitê de Gestão Hospitalar

Para o Secretário de Saúde Jean Rodrigues da Silva, este trabalho de integração da gestão pública com a sociedade civil organizada é fundamental para a busca de melhores resultados e melhor gestão dos recursos financeiros e humanos disponíveis. “Com os diferentes pontos de vista dos integrantes do comitê, as decisões tomadas pela Prefeitura de Joinville são mais focadas e assertivas”, afirma Jean Rodrigues da Silva. Entre as ações anunciadas após o surgimento do Gabinete da Crise, especificamente na área da saúde, estão a suspensão das cirurgias eletivas de alta e média complexidade em todos os hospitais de Joinville, conforme as recomendações do Governo do Estado. Permanecem ativas as cirurgias de urgência e emergência, além dos procedimentos considerados tempo-sensíveis, ou seja, que não podem ser adiadas sob risco de colocar a vida do paciente em risco. Outro aspecto importante, segundo o secretário de saúde Jean Rodrigues da Silva, é o trabalho de testagem com agilidade na entrega dos resultados dos mesmos, em aproximadamente uma hora.

Ou seja, os hospitais estarão abastecidos para realização de testes antígenos para diagnóstico, com coleta de material nas narinas para detectar a presença de uma proteína da SARS-CoV-2, que indica se o paciente está com a doença naquele momento e precisa ser isolado. O município também articula uma parceria com a Universidade da Região de Joinville (Univille) para que o mapeamento genético do vírus seja realizado na cidade. O objetivo é monitorar com mais agilidade a circulação do vírus em território joinvilense. O prefeito de Joinville, Adriano Silva ressalta que a atuação do Comitê de Gestão Hospitalar é fundamental para que se adotem as melhores decisões de acordo com as demandas que vão surgindo no combate a pandemia. O presidente da SJM lembra que este tipo de trabalho requer muita atenção, uma vez que o quadro da doença, com indicadores do número de leitos disponíveis em UTIs e enfermarias muda todos os dias e enquanto não houver a disponibilização da vacina para toda a população ele acredita que não haverá grandes mudanças e as regras de isolamento social continuarão sendo a melhor alternativa.