Diretoria da SJM conversa com a nova Secretaria de Saúde para a busca de soluções para a crise na saúde pública de Joinville

1224
SJM - Sociedade Joinvilense de Medicina
SJM - Sociedade Joinvilense de Medicina

O presidente da SJM, Dr. Antônio Garcia e o Primeiro Secretário da SJM (Sociedade Joinvilense de Medicina), Dr. Gabriel El-Kouba Júnior, estiveram reunidos na quarta-feira passada com a nova Secretária Municipal de Saúde, Francieli Schultz. Este foi o segundo encontro da SJM com a nova gestora da saúde desde que ela assumiu e o tema da conversa foi a busca de soluções conjuntas para minimizar e a médio e longo prazo resolver os problemas que a saúde pública da maior cidade do Estado está enfrentando. Principalmente por conta da judicialização da saúde em liminares do Ministério Público e TACs que não foram cumpridos pelo executivo municipal.

Segundo Dr. Garcia e Dr. Gabriel, o objetivo da SJM é auxiliar a secretaria a encontrar soluções e para isso vem mantendo contato com os departamentos e sociedades de especialidades médicas que integram os quadros da SJM  para que auxiliem na reestruturação das especialidades médicas dentro do serviço público, implantando e adotando, entre outras mudanças, o matriciamento. “Este formato de trabalho, com protocolos, controle e acompanhamento das reais demandas dos pacientes, acaba com as filas, organiza o serviço e vem se mostrando eficiente nas especialidades em que já acontece, como a cardiologia, mastologia, endocrinologia, cirurgia vascular, psiquiatria, entre outras”, explicou Dr. Garcia.

Os contatos já estão sendo feitos com os presidentes de sociedades e departamentos da oftalmologia, ortopedia, reumatologia, proctologia, endocrinologia, entre outros, para que no primeiro momento sejam efetuados os mutirões tanto em consultas como exames de média e alta complexidade, para depois a especialidade passar pela reestruturação. “Já que o MP bloqueou valores, que estes possam ser utilizados para resolvermos os problemas imediatos, levando em conta de que não adianta mudar o secretário, o prefeito, enfim, o gestor, se não houver uma mudança no sistema, na gestão. Estamos nos colocando à disposição para contribuirmos na solução do problema da crise na saúde”, reafirmou Dr. Garcia, lembrando que a entidade não entra no mérito das decisões políticas, pois o que interessa para a SJM é que a saúde pública funcione e que os médicos possam atuar dentro de um ambiente bom e dentro das normas éticas da profissão.