SJM  na luta em prol do Hospital Infantil

992
SJM na luta em prol do Hospital Infantil

Na reunião almoço desta quarta, dia 7 de dezembro, a pauta será o Hospital Infantil com a presença do deputado estadual Dr. Dalmo Claro de Oliveira, também associado da SJM. 

A luta do Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante, referência no atendimento pediátrico e juvenil em toda a região Norte e Nordeste (e em alguns casos até de o
utras regiões do Estado), não é de hoje. Há dois anos a instituição vem sofrendo com o atraso nos repasses mensais do Governo do Estado, que permite o pagamento da folha dos médicos, funcionários e fornecedores do hospital, que hoje soma uma dívida de quase R$ 18 milhões.

No entanto, neste final de ano está ainda pior, com quase três meses sem pagamento, o hospital pede socorro para não fechar as portas. Conhecedora desta situação, a diretoria da SJM (Sociedade Joinvilense de Medicina) participou nesta segunda de noite, das 19 às 20 horas, da assembleia do corpo clínico, para discutir a situação crítica da entidade e buscar saídas para que o atendimento não seja paralisado, conforme definição da própria diretoria do hospital, que teme a falta de medicamentos, materiais e manutenção dos equipamentos por causa da recusa dos fornecedores em continuarem trabalhando sem receber.

Nesta oportunidade, o corpo clínico e a direção da SJM acertaram de buscar apoio político para a causa e ao mesmo tempo sensibilizar a classe empresarial e as lideranças da cidade e do Estado para que se mobilizem a fim de que o hospital não feche as portas, ainda mais numa época complicada como a de final de ano. Por conta disto, a SJM contará na reunião almoço desta quarta-feira da presença de lideranças médicas, como a do deputado estadual, Dr. Dalmo Claro de Oliveira, também médico associado da SJM, da Secretaria de Saúde de Joinville, e dos presidentes das regionais do CREMESC (Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina) e do SIMESC (Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina). O objetivo é buscar alternativas para a crise no Infantil e com isso conseguir que a situação retorne à normalidade.

SJM  na luta em prol do Hospital InfantilSegundo Dr. Antonio Garcia, presidente da SJM, o montante da dívida deixa o corpo clínico do hospital sem outra saída. Cerca de 11 mil crianças passam todos os meses pelo hospital. -Rogamos à Secretaria Estadual de Saúde e à Secretaria Municipal de Saúde para que tomem as providências necessárias para que as crianças e adolescentes tenham acesso aos serviços do SUS nos demais estabelecimentos da rede pública da cidade – diz o documento produzido pela direção do Infantil.
O Infantil também anunciou o fechamento do pronto-socorro a partir desta quinta, dia 8 de dezembro. Nesta segunda, o hospital suspendeu as novas internações – só será mantido o atendimento a quem já estiver internado – e o atendimento eletivo, ou seja, as consultas, exames e cirurgias marcadas com antecedência. O ofício sobre as paralisações nos atendimentos também informa que o Infantil encerraria a agenda de disponibilidade para as internações via Central de Regulações. A Central é um serviço mantido pelo governo do Estado que permite uma visão ampla dos leitos em todas as instituições da região. Por meio da regulação, um paciente pode ser transferido para um setor de referência ou para uma unidade onde haja vaga.