Diretoria da SJM reúne-se com a Secretária de Saúde e membros de sua equipe

649

A diretoria da SJM reuniu-se nesta quarta-feira, dia primeiro de fevereiro, durante sua reunião almoço semanal, com a Secretária Municipal de Saúde, Francieli Cristini Schultz, o Diretor Executivo da Secretária, Jean Rodrigues da Silva e da Diretora Técnica da Secretaria de Saúde, Dra. Luana Garcia Ferrabone. Da SJM participaram o presidente Dr. Antônio Garcia e os diretores Dr. Gabriel El-Kouba Júnior, Dr. Patrick Diretoria da SJM reúne-se com a Secretária de Saúde e membros de sua equipeHoepffner, Dr. Fabricio Morales Farias, Dr. Faustino Rebelatto e o representante da diretoria do SIMESC (Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina), Dr. Thales Fretta A. Medeiros, além dos assessores jurídicos e de comunicação, Dr. Thiago Beltrame e Simone R. Vieira.
Diretoria da SJM reúne-se com a Secretária de Saúde e membros de sua equipe          Entre os principais tópicos da pauta estavam os cortes no orçamento municipal específico para a área de saúde e as mudanças promovidas no organograma do Hospital Municipal São José. Além disso, a preocupação da classe médica quanto a manutenção do Programa de Residência Médica do São José e mais do que isso, da melhoria da comunicação entre a classe médica e os gestores das unidades de saúde.
Diretoria da SJM reúne-se com a Secretária de Saúde e membros de sua equipe          De acordo com o presidente da SJM, Dr. Antonio Garcia, a maior preocupação com a saúde pública refere-se ao anúncio do corte de recursos, uma vez que esta é uma área que já enfrenta um grande déficit em todos os níveis de atendimento. “Acompanhamos o tema inicialmente pela imprensa e isso deixou toda a classe apreensiva, por isso queremos conhecer de perto qual o planejamento da saúde pública para Joinville e micro região nos próximos quatro anos. Como funcionará o sistema daqui para frente”, disse.
Diretoria da SJM reúne-se com a Secretária de Saúde e membros de sua equipe          A secretária disse que também tomou conhecimento do tema pela imprensa e levou um susto, mas que ao assumir a direção do Hospital São José e continuar à frente da Secretaria de Saúde – presta meio expediente em cada local – foi tomando pé da situação e percebendo que o objetivo do prefeito, com a contenção de gastos, é evitar justamente que serviços sejam fechados. “Hoje temos uma dívida de R$ 11 milhões no São José. Nossa folha total consome mensalmente R$ 11 milhões e o custeio dos serviços (insumos, medicamentos, equipamentos, entre outros) fica em R$ 4 milhões”.
Segundo ela, com início da nova gestão foi possível horizontalizar a administração do hospital e da secretaria, dando autonomia para os gestores que atuam nas diferentes áreas e ao mesmo tempo profissionalizando a gestão, pois cada um poderá atuar dentro do seu foco, da sua atividade específica. “Com este novo modelo também será possível diminuir custos, pois faremos as compras tanto da secretaria como do hospital num único pacote, assim como a informatização do sistema, acabando ou pelo menos diminuindo em grande parte, a realização de consultas, exames duplicados ou triplicados, que envolvem um desperdício do recurso público e uma ineficiência na gestão”, observou.
O diretor da SJM, Dr. Fabricio Morales lembrou que um dos grandes problemas que acompanham tanto a gestão do hospital, como da Secretaria de Saúde, está centralizado na comunicação ineficiente entre os gestores e os profissionais de saúde, no caso, os médicos e enfermeiros, entre outras categorias que atuam na ponta do sistema, estão em contato diretamente com o paciente. Segundo ele, é necessário que exista este diálogo, esta troca, com as chefias das especialidades e com o corpo clínico para que sejam dirimidas as dúvidas e para que haja esta interação que trará benefícios para todos.

CALENDÁRIO DE REUNIÕES APROVADO
Dr. Garcia lembrou que o matriciamento realizado há dois anos pelos colegas de sua especialidade médica, a Vascular e também por outras especialidades, apontou claramente que há um distanciamento entre a realidade que o médico clínico encontra nos postos de saúde e PAs e o que chega aos especialistas. “Com a orientação da classe médica, conseguirmos diminuir filas, ampliar a oferta de vagas e termos mais efetividade no atendimento”.
Para ele, o primeiro passo para que este caminho possa ser efetivado é a realização de um trabalho conjunto da SJM, com os gestores da Secretaria Municipal de Saúde e com a classe médica, através dos seus departamentos e sociedades de especialidades. Para isso, foi acertado ao final do encontro que sempre na terceira quarta-feira do mês, ao meio dia, acontecerá uma reunião almoço na SJM, para tratar justamente dos problemas inerentes a cada área da saúde, com participação sempre dos especialistas que serão previamente convidados.
O diretor da SJM, Dr. Gabriel El-Kouba Júnior, que participou da reunião do Conselho Municipal de Saúde na segunda, dia 30 de janeiro, na sede da Câmara de Vereadores, lembrou que há uma insatisfação grande da classe médica justamente pelo desencontro de informações nas unidades públicas. “Este clima gera insegurança e muitas notícias desencontradas. Estes encontros vão ajudar muito na realização de uma pauta que será divulgada para todos, com os assuntos que mais interessam aos profissionais de saúde”, defendeu.
Dr. Patrick Hoepner, também do quadro de diretores, disse que esta iniciativa já havia sido proposta para a Secretaria Municipal de Saúde desde 2015 e acabou não se concretizando. E que agora, diante do agravamento da crise financeira no País, que acaba por prejudicar ainda mais o setor, não há mais tempo para dúvidas. “A cidade clama por uma boa gestão no setor e mais do que isso, para os investimentos em novos equipamentos e na valorização dos servidores”.
6321b          A equipe da Secretaria Municipal de Saúde, comandada por Francieli aprovou na hora a sugestão e o próximo encontro já foi confirmado para o dia 15 de fevereiro, às 12 horas, na sede da SJM. A diretoria da entidade médica vai discutir na próxima quarta a pauta desta segunda reunião e irá divulgar para os associados da entidade nos próximos dias. “Queremos abrir o leque, trazendo para a SJM os especialistas que atuam na rede pública, de forma a darmos todos os instrumentos para que possam manifestar suas dificuldades, necessidades e através de um fórum atuante, buscarmos as sonhadas melhorias para a saúde pública local”, disse Francieli, comemorando o apoio recebido da SJM.
A SJM também irá envidar esforços nas próximas semanas para levantar todas as informações referentes à Residência Médica do São José, para saber em que pé está o processo de recredenciamento da unidade como Hospital Escola e a vinda dos recursos. “Este tema também será abordado no Fórum, mas antes disso, vamos buscar mais informações. Queremos nos antecipar aos problemas”, concluiu Dr. Garcia.